domingo, 8 de agosto de 2010

o conto do idiota 'apaixonado'

pois bem...

o lugar é um prédio pequeno de aulas com três andares

a cena se passa na escada do segundo pro terceiro andar

do lado da escada tem uma parede, de um corredor que dá para as salas

eram aproximadamente 17:35 da tarde

e lá estava o personagem principal “idiota” da nossa história...

sentado, se não me engano no quarto degrau lendo um livro, esperando por algum sinal de movimento no corredor ao lado com o coração ao que eu calculo estava a aproximadamente 100 batimentos por minuto, ele não teve tempo de contar

eis que o pobre “idiota” ouve barulhos no corredor ao lado

e é justamente o barulho que ele esperava

numa fração de segundo ele tomou a decisão de ser um “idiota” corajoso

então, na frente de uma turma inteira de pessoas mais novas, vêm duas meninas

uma morena, possivelmente a menina mais linda que o “idiota” já viu na vida e que nós vamos chamar de ...?

Sophia, um nome bonito, inteligente, filosófico (o mundo de Sophia)

por coincidência, o nome dela começa com s mesmo

continuando

elas passaram, e o idiota, sem pensar mais disse:

- sophia, posso falar contigo?

a sophia olhou pra amiga dela, uma loira, algumas pessoas devem achar ela bonita, talvez até mais do que acham a sophia bonita, mas o nosso idiota não, ele não gosta muito de loiras

ele adora morenas

então, a sophia olhou pra amiga dela, e fez sinal pra ela continuar

provavelmente ela já esperava por aquilo, pois o idiota estava indo lá já fazia uma semana, e sempre ficava até depois da aula dela e sempre olhava pra ela que nem um bobão

sendo que na primeira vez foi por aproximadamente meia hora

agora vamos pra parte mais vergonhosa da história que eu gosto de chamar de capitulo 2

ela parou ao pé da escada e ficou olhando pro idiota, com o sorriso mais lindo, inocente e bondoso que ele já viu na vida

ele pediu pra ela esperar um pouco até todos passarem
todos passaram, e então

NOTA: ninguém está apaixonado até admitir isso

continuando

ele disse da forma mais estúpida possível, quase sem conseguir olhar pra ela:

- eu sei que tu deve achar isso estranho, a gente nem se conhece direito...

e ela respondeu, dando um sorriso ainda mais bonito que o anterior:

- é... um pouco

então ele disse:

- sei lá, é difícil dizer isso... mas eu queria te conhecer... por mais estranho que pareça...

então ela continuou olhando pra ele, sem dizer uma só palavra, apenas sorrindo... aquele sorriso maravilhoso que tanto encantava o nosso pobre idiota

então ele perguntou:

- tu vai direto pra casa agora, ta ocupada?

e ela:

- sim, tenho que ir

- ah bom... então, se tu quiser, a gente podia conversar no msn, sei lá

- por que eu realmente quero te conhecer...

então ela disse:

- tudo bem...

o coração do idiota já estava quase no cérebro e o rosto dele devia estar tão rubro quanto uma bola de basquete

então ele estendeu a mão

e apesar de tantas coisas estúpidas, ele acha que essa foi a mais inteligente que ele fez

ela, então, estendeu a mão pra ele

ninguém sabe se por acreditar no que ele dizia, se por medo de contrariar alguém que parecia meio perturbado mentalmente ou se até mesmo por pena

mas questão é que ela estendeu a mão pra ele...

ele não hesitou

pegou a mão dela da maneira mais gentil que se pode imaginar, apertando um pouco, mas com muita gentileza e olhou pra mão dela

era, sem a menor sombra de dúvida, a mão mais pequena, fofa, bonita e amável que ele já tinha segurado na vida

estava pintada com uma tinta escura,meio preta, meio roxa

era indecifrável, pois ele via tudo cor de rosa naquele momento especial...

ele segurou a mão dela por uns 5 segundos, contemplando-a

então largou, sendo invadido por grande tristeza por ter de largar a mão mais maravilhosa que ele já segurara

sorriu pra ela, ele não sabe se ela sorriu, mas isso era indiferente, pois naquele momento, tudo que importava pra ele era dar um jeito de segurar aquela mão novamente, um dia

então, ela desceu a escada

e, em outra fração de segundo, lembrando-se que foi a primeira vez que ouviu a doce voz daquela menina, e era realmente uma voz linda, ele fez uma coisa que pelos românticos seria interpretada como inteligente, mas por estúpidos modernos seria
considerado um ato ridículo

ele disse:

- a propósito - e esperou, até que ela respondeu - sim?

- tua voz é linda

ela respondeu:

- obrigada...

e foi embora

após um momento perplexo pelo que tinha feito, o idiota se sentiu o idiota mais feliz do mundo, e teve vontade de sair pulando, como se tudo no mundo fosse possível

fim

Bom, se você chegou ao fim do conto, muito obrigado. O blog foi criado para divulgar meus contos, a maioria de cunho romântico (vai que algum sai diferente disso), e todos escritos de maneiras diferentes, como vocês vão ver. Caso goste dos contos, peço que deixem um pequeno comentário, com elogios, sugestões e, especialmente críticas construtivas, que são o principal motor do mundo. Muito obrigado e boa leitura.

7 comentários:

  1. que legal!! a paixão deixa as pessoas meio idiotas mesmo.. auauauauau

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito, Fê ! Pessoas sensíveis assim é MUITO difícil de ver hoje em dia, ainda mais se expondo desse jeito num blog. Sucessooo !

    ResponderExcluir
  3. gosteii,continue escrevendo...e se um dia você lançar um livro,eu compro!

    ResponderExcluir